13 out 2017

Conheça mais sobre ortodontia

O conceito de odontologia diz que é a especialidade médica que se dedica ao estudo dos dentes e das gengivas e ao tratamento das suas doenças. Já a ortodontia, é a disciplina que encarrega-se de tudo o que se refere ao aparelho estomatognático, formado pelo conjunto dos órgãos e dos tecidos que se encontram na cavidade oral e em parte do crânio, da face e do pescoço. Cuida das posições dos dentes, da relação entre a maxila e a mandíbula, e tudo o que influencie para um bom posicionamento e postura da oclusão dentária.

Existem diferentes dentes: os incisivos, os caninos, os pré-molares e os molares. Para além do aspecto estético, cada um deles tem a sua função. Os incisivos permitem cortar os alimentos, os caninos ajudam a rasgar e os pré-molares e molares encarregam-se de triturar, por exemplo.

A indicação é sempre manter um acompanhamento adequado com seu dentista, para garantir a resolução de problemas que possam surgir, de forma rápida e eficiente. Com base em alguns estudos por parte do dentista, tais como: um exame clínico, moldes de gesso de seus dentes e fotografias e radiografias especiais, o ortodontista poderá decidir se a ortodontia é recomendável e desenvolver um plano de tratamento adequado para você.

Se você apresenta algum dos problemas abaixo, pode ser um candidato para o tratamento ortodôntico:

  • Sobremordidas: problema caracterizado por um certo excesso. Nesses casos, os dentes superiores recobrem quase que totalmente os dentes inferiores, consequentemente danificando o sorriso e trazendo problemas com a mastigação.
  • Mordida cruzada anterior: é caracterizado quando a arcada inferior está projetada muito à frente ou a arcada superior se posiciona muito atrás.
  • Mordida cruzada posterior: quando a arcada superior é muito estreita e não está alinhado com o centro da arcada inferior.
  • Diastema: espaços ou falhas entre os dentes como resultado de dentes que não preenchem a boca ou de dentes ausentes.

Há diversos tipos de aparelhos ortodônticos que tornam o tratamento mais eficaz, sendo alguns mais comuns tais como:

  • Aparelho fixo: é caracterizado pelas bandas, brackets e fios, considerado o mais comum dos aparelhos. As bandas são fixadas em volta de vários dentes  ou um só dente, e utilizadas como âncoras para o aparelho, enquanto que os braquetes são presos na parte externa do dente. Os aparelhos fixos são geralmente apertados a cada mês para se obter os resultados desejados, que podem ocorrer no prazo de alguns meses até alguns anos. Existem os aparelhos fixos metálicos, autoligados e estéticos, vale uma conversa com o ortodontista para decidir qual é o melhor para o seu caso.
  • Alinhadores invisíveis : placas transparentes, parecido com as placas de clareamento, removíveis com o intuito de realizar a movimentação gradual dos dentes. A base, feita digitalmente, é parecido com uma moldeira, além de serem discretos e invisíveis.
  • Aparelho ortopédico: normalmente é usado por aquelas pessoas que precisam controlar o hábito de “chupar o dedo” ou a língua “presa”, os aparelhos normalmente são fixados nos dentes ao invés das bandas.
  • Mantenedor de espaço fixo: se um dente de leite caí precocemente, normalmente é usado um mantenedor de espaço para manter este espaço aberto até que o dente permanente faça a erupção. A banda é colocada próximo ao espaço vazio e um fio é estendido até o dente do outro lado do espaço.

Tem alguma dúvida ou quer agendar uma avaliação? Agende aqui ou através do nosso WhatsApp: (+55 42) 9951-1555.

 

Deixe um comentário